12 março 2013

Dinheiro


Dinheiro não é o de menos nem o de muitos. Resolveria boa parte da minha vida se pudesse transformar um rolo de primavera em outro com 100 metros do gaúcho impresso. Não é pelo carro nem pela torneira moribunda. Não me preocupa o rasgo na calça e muito menos o sofá delineando a minha bunda. A carne o pão e a pinga nunca irão faltar. São os sonhos e as consequências da realidade que tiram o sono. É aquela velha sensação que se tem, raríssimas vezes, de poder planejar e gastar o metal com algo inútil ou não. É sentar na beira do mar e poder ter uma prosa sincera com o por do sol. Abrir uma embalagem de sorvete sem se culpar.

Dinheiro é o de menos, se aventurar, atingir o ápice colecionando tuperwares promocionais, tomar uma kaiser num copo de requeijão ou ver tua mulher fazendo das tripas coração para alimentar sua garrafa de esperança. Falta muito ainda para a pobreza sem-vergonha bater a porta, porém já destes ares, respirei o suficiente pra ter certeza do quanto imbecil e mal vivido é o infeliz que acabou de dizer o quanto dinheiro é o de menos. De menos para ele que não sente prazer em ter prazer em coisas não superficiais.  Neste momento queria muito olhar pra ele e dizer:

-Vá, seu filho da puta, carregar um botijão de gás nas costas!

06 março 2013

A vida numa caixa de fosforo

Não é dolorido é pesado. Pensou o idiota.
É castigado, frustrado e dilacerado.
Um dia, um certo dia tudo cai e te amarga um ou os dois lados do ombro, é pesado.
E então se da conta de que passou tempo demais para vestir a velha calça rasgada na bunda e pela manhã na frente do espelho percebe que um ombro é menor do que o outro, é pesado.


Então sai por ai pensando como um animal e transpirando feito um boçal. Não consegue paralisar sequer o sorriso idiota. Tropeça feito um malabarista bêbado no cadarço que por preguiça ficou desamarrado, idiota. É merecidamente um idiota, canalha de barba rustica tentando ser o velho sabio.

O tempo revela muito sobre você. onde esta...o que tem feito..e até o que anda pensando. Esse tempo consome mas nunca vai revelar quem você é de fato. É como abrir uma caixa de fosforo e retirar um palito por dia, é uma caixa, a mesma caixa só que dia apos dia, revirada e transformada suas entranhas.


Então a vida é feita uma caixa de fósforos? Questionou o Idiota. Sim e por mais ador que possa causar a chama ainda assim é pequeno, é imperceptível se comparado a chama infernal existente dentro de nós. Ele se calou e acariciou sua caixa de fósforo estranhamente de uma forma que ninguém pudesse perceber, em seguida encostou a cabeça no sofá e desligou a televisão. 






24 outubro 2012

Se pôs o sol

Se pôs o sol
Quando partiu o dia saltando pela janela
E eu aqui parindo o inconcebível horror da chegada hora, anoitecendo, horror.
Fugindo entre os dedos estreitos toda paz

Se pôs o sol
Quando estampou escuridão
e o chão engoliu as sombras das pessoas, pobre gente, pra lá e pra cá.
Caiu sereno o tempo e toda sua loucura.

Se pôs o sol e aqui só. 

24 maio 2012

Não sou mais um lugar

Se você disser que não sou mais o teu lugar saiba que ainda podemos caminhar sob o mesmo céu.

Se você achar qualquer palavra que se encaixe em meu olhar saiba que ainda temos muito para falar.

Mas não diga nada se realmente tudo passa logo vamos festejar.

Mas não tente nada deixe a luz acesa e as coisas no lugar.

Eu não quero pensar que a vida acaba assim. Num pedaço de azulejo frio e calmo como teu olhar.