27 janeiro 2010

MALDITO POETA

Maldito poeta, cantou palavras e as deixou todas ali jogadas no canto da casa de piso frio.

Maldito poeta, plantou uma escada dentro do próprio coração e se esqueceu de beber o final daquela garrafa de vinho tinto.

Até quanto Deus irá permanecer brincando com seus bonecos de barro? Vida fútil, fácil e viciosa.

Depender do florescer da adolescência de alguém, vida mais que fútil e vulgar.

Maldito poeta, encantou se com as pegadas de uma mulher qualquer enquanto sua espessa saliva escorria pelo balcão de mármore do fétido boteco onde jaziam putas e motoristas de ônibus.

Maldito poeta, quantas chaves ainda serão necessárias quebrar? Quantas fechaduras trocar até que ele encontre a verdadeira porta para sua passagem?

Vagabundas e vagabundos prostituindo se por doses de frias madrugadas enquanto repousa com toda a paz os cachorros maltrapilhos e mal cheirosos, pobre esquina de um triste logradouro. Se fosse simples passear sobre as gramas do parque flagelado da babilônia, talvez Deus não desistisse de nós. Na verdade, ainda tenho duvidas se ele realmente desistiu.

Maldito poeta, que nunca escreve ou canta seus salmos no peito de alguma velha arvore. Através dos goles despossuídos de alguma bebida que não seja hidromel ele fala e as vezes até grita o fel da sua loucura interior.

Maldito poeta, não entende absolutamente nada do que eu digo, penso e faço. Sobre tudo, apenas o que eu consigo balbuciar. Pisa em pequenas e estreitas estradas projetadas com caquis ao invés de paralelepípedos.

Maldito poeta, maldito pedaço de barro, despossuído de lucidez, que seja então o primeiro gole no fel das duras e tristonhas palavras.

Maldito poeta!




Obs: Para ouvir, procure "Racional" do Tim Maia

15 comentários:

Lenivaldo Silva disse...

Gostei. Achei tão rebuscado...
Mas senti uma agonia a imaginar um caminho de caquis...
Um bom blog.
Parabéns

Vinicius Oliveira disse...

bom, eu nao gosto de Tim Maia ai nao posso ouvir sua sugestao, mas seu blog ta otimo, texto muito bem escrito, parabens
http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/ comentem, falo sobre futebol, preciso dessa moral de voces

Jonathan disse...

CLAP, CLAP, CLAP!

Muito bomm, sem palavras!!

muito bom mesmo!

Amigo, passe em meu blog: http://librianodoamor.blogspot.com/

Cliff disse...

Hum, Tim Maia. bom gosto!
escreve muito bem, parabens!
visita? www.ruasdeinverno.blogspot.com

Renan Leal disse...

BENDITO BLOGUEIRO. QUE TEXTO, CARA!

Inaiê Jacobsen disse...

Muito bom! vc escreve mt bem,adorei o blog, parabéns! estou te seguindo

Luisao disse...

Naum gosto muito de Tim Maia, mas seu blog está otimo, muito bem feito

Parabens.

Vinicius Oliveira disse...

coomo eu ja tinha elogiado seu texto, faço uma pequena critica, faça um post novo, explore teu talento
http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/ comenta no meu?

** Srta Sara Fernandes ** disse...

q triste e q profundo ... nao deveria ser, mas toda melancolia é linda .. todo balcão sujo esconde almas puras ... todo fundo d copo guarda os mais belos poemas .. belo blog

bjuhs

Arlan Souza disse...

Quanta agonia, quanto descontentamento.
Maldito poeta.

Bom texto.

Medeiros Alencar disse...

Ótimo texto. Consegui visualizar cenas em minha mente ao ler teu texto. Escreves bem. Parabéns... Ahhh... adorei a trilha sonora.
hehehe
www.medeirosalencar.blogspot.com

BLOGUEIRO EXECUTIVO disse...

Gostei é sagaz e causticamente bem poetado!

Fagnão! xD disse...

gostos e gostos... não vou ouvir tim maia, foge ao meu estilo musical! porém o seu blog é muito bom e li o texto até o fim!

keep up the good work

http://popundergroundofgod.blogspot.com/

Henrique Oliveira disse...

Apesar do amargor, ótimo texto!

Incomode-se

Henry Barros disse...

Me amarrei no texto cara, ainda mais que eu tenho costume de escrever poemas =]